Lourinhã       » Voltar «

Vista panorâmica noturna da Lourinhã

O concelho está subdividido em 11 freguesias, A Lourinhã é uma vila sede de concelho portuguesa localizada no litoral da sub-região do Oeste, possui uma área total de 147,18 km² e 25 500 habitantes. O distribuídos por 11 Freguesias, Atalaia com 1 555 habitantes , Lourinhã com 8 797 habitantes, Marteleira com 1 538 habitantes, Miragaia com 1 670 habitantes, Moita dos Ferreiros com 1 740 habitantes, Moledo com 425 habitantes, Reguengo Grande com 1 562 habitantes, Ribamar com 2 080 habitantes, Santa Bárbara m 1 414 habitantes, São Bartolomeu dos Galegos com 1 041 habitantes , Vimeiro com 1 443 habitantes, o Concelho da Lourinhã está hoje servido de excelentes acessibilidades relativamente às principais cidades do país e a Lisboa, da qual dista 63 Kms. O surgimento do nome Lourinhã está, segundo algumas versões ligado à existência de uma povoação romana. No Século XII, já em plena reconquista, foi D. Afonso Henriques quem concedeu ao fidalgo francês D. Jordan as terras hoje conhecidas por Lourinhã pelos valorosos serviços prestados por este na conquista de Lisboa aos mouros. O primeiro foral da Lourinhã, dado por D. Jordan, não possui data certa, embora alguns historiadores o remetam para o ano de 1160, tendo sido sucessivamente confirmado por D. Sancho I, em Santarém, no ano de 1218 e por D.Afonso III, no ano de 1251. Um novo foral foi concedido por D. Manuel I, em 1512. Os seus 12 quilómetros de costa, onde se combinam belas praias, penhascos recortados e tranquilas baías, numa rota que o sol percorre, quente e luminoso, durante todo o ano, são de uma riqueza paisagística única.



~
Estas condições naturais convidam à prática de diversos desportos náuticos, pesca desportiva, caça submarina, fotografia subaquática, surf ou, entre outros, o jet ski. O interior do concelho, caracterizado pela ruralidade da paisagem e harmonia das suas cores, dispõe de excelentes condições para umas férias tranquilas e repousantes. Aí se encontram vários estabelecimentos de turismo em espaço rural, onde se pode estabelecer um contacto directo com a natureza, com a vida agrícola e praticar diversas actividades como a equitação, ténis, BTT, caça, mini-golf, karting, ou simplesmente descansar. No seu património salienta-se a Igreja de Nª Srª da Anunciação ( também conhecida por Igreja de Santa Maria do Castelo), a Igreja da Misericórdia , o Convento e Igreja de Santo António, o Forte de Paimogo, o Parque da Fonte Lima, o Museu da Lourinhã ou ainda ,entre outros, o Padrão Comemorativo da Batalha do Vimeiro, onde o exército Anglo-Luso venceu as tropas napoleónicas comandadas pelo general Junot em 21 de Agosto de 1808 durante a 1ª Invasão Francesa.

 

Origens

A origem da Lourinhã é pouco conhecida. Parece ser de origem romana, numa vila (povoação ou casa de campo) romana denominada Laurinianum, Laurinius ou Louriana . Por sua vez pode provir de "laurus" ou Laurius , da palavra latina que significa loureiro, árvore em tempos abundante na região

História

A região da Lourinhã foi habitado desde os tempos da pré-histórica. O Museu GEAL da Lourinhã tem vestígios e objectos da presença humana na região desde o Paleolítico do Neolítico também do Calcolítico.

Foram várias vagas sucessivas de povos que deixaram marcas da sua passagem na região até à chegada dos romanos, esta acção civilizadora e moldou definitivamente o modo de vida das populações nessa região.

A origem da vila medieval está associada a D. Jordão, um cavaleiro francês que participou no cerco bem sucedido de Lisboa em 1147. O rei Afonso Henriques concedeu a Jordão a região de Lourinhã como prémio e permitiu que concedesse um foral (carta de direitos feudais) a seus colonos em 1160.

O primeiro foral foi atribuído por D. Jordão em 1160, e depois foi confirmado por D. Sancho I em 1218 e por D. Afonso III em 1251. Um novo foral foi concedido por D. Manuel I, em 1512.

D. Jordão mandou construir a Igreja do Castelo, na segunda metade do século XIV.[7] Foi construída junto das muralhas do antigo castelo (hoje desaparecido).[8]

Os direitos da Lourinhã foram confirmados por cartas do rei Sancho I em 1218 e outra vez por Afonso III em 1258. A paróquia da Lourinhã transformou-se numa das mais ricas da diocese de Lisboa, reflectindo-se essa riqueza na sua igreja principal, um exemplo fino da arquitectura gótica portuguesa do século XIV. Os trabalhos góticos da igreja principal foram patrocinados por Lourenço Vicente, um arcebispo de Lourinhã nascido de Braga que recebeu a vila como uma doação do rei João I em 1384.

 
Pintura que representa a Victoria dos Luso-inglês no Vimeiro.No século XVI, a Igreja do Convento Santo António da Lourinhã e uma igreja de Misericórdia e uma caridade (1586) foram fundados na Lourinhã.

A Misericórdia (mercê), uma caridade religiosa, abriga agora um museu com pintura proeminente do renascimento. Entre as pinturas, as mais importantes são pela mão de um pintor misterioso do século XVI, apelidado de Mestre da Lourinhã.

No dia 21 de Agosto de 1808, teve lugar na freguesia do Vimeiro uma das batalhas da Guerra Peninsular, entre as tropas luso-inglesas e as tropas francesas.[9] O concelho da Lourinhã estava sob domínio francês, mas depois a Convenção de Sintra faz sair os fraceses de Portugal.

Começando no fim do século XIX, a infraestrutura da municipalidade foi modernizada com estradas, água canalizada e luz eléctrica, assim como melhorias no sistema educativo. A economia permaneceu na maior parte dependente da agricultura e da pesca.

O turismo é cada vez mais uma fonte de receitas importante, extraída pelas praias extensas e, mais recentemente, pelas reservas paleontológicas da municipalidade, que incluem ossos fossilizados, pegadas, ovos e mesmo os embriões de dinossauros do período jurássico. Muitos deles podem ser vistos hoje em dia no Museu da Lourinhã.

 

Romanos
Muitos povos passaram pelas Lourinhã ao longo dos séculos, os Iberos, os Fenícios, os Gregos, os Túrdulos, os Cartagineses e os Romanos.
A Lourinhã teve origem numa vila romana, Laurinius. Esta vila era banhada por um braço de mar, pelo que tinha um porto navegável. Actualmente, devido à retracção marinha, a vila é apenas banhada por um pequeno rio denominado Rio Grande.
O surgimento do nome Lourinhã está, segundo algumas versões ligado à existência de uma povoação romana chamada Louriana, no entanto, a mais aceitável é a de D. Afonso Henriques ter concedido ao fidalgo francês D. Jordão as terras hoje conhecidas por Lourinhã.

 

Geografia

Com 147,2 km², a Lourinhã está situada a 65 quilómetros ao norte de Lisboa, Lourinhã é localizada na Região do Oeste, está cercada por 12 quilómetros de costa marítima. Ela inscreve-se na Estremadura Litoral da Região de Lisboa e Vale do Tejo.
O município é limitado no norte pelo distrito de Leiria e pelos municípios de Peniche e de Óbidos, ao nordeste pelo Bombarral, a sueste pelo Cadaval, a sul por Torres Vedras e ao oeste tem a costa do oceano Atlântico.
O território da Lourinhã é dividido pelo vários rios, o Rio Grande, o Rio Galvão, o Atouguia e mesmo ribeiras como a ribeira de São Domingos. Ao norte, a paisagem na costa é mais rochosa, as costas marítimas da Lourinhã, Atalaia e Ribamar são altas e com rochas, e são com abstente de arribas como se verifica no Cabo Carvoeiro nos Arquipélago das Berlengas (Peniche).
Devido à sua dualidade geográfica é possível ter uma grandes áreas que permitem o desenvolvimento da agricultura, cerca de 80% da área do concelho é usada na agricultura, usada para a cultura da Pêra Rocha, de vinhas e de batatas.
Lourinhã comporte 11 freguesias, no total são cerca de 26 000 habitantes neste concelho : Atalaia, Lourinhã, Marteleira, Miragaia, Moita dos Ferreiros, Moledo, Reguengo Grande, Ribamar, Santa Bárbara, São Bartolomeu dos Galegos e a freguesia do Vimeiro.
Na Lourinhã, as temperaturas médias anuais são 16°C. O concelho tem um dobro clima (os dois principais climas), o clima oceânico pela sua proximidade do Oceano Atlântico e do clima mediterrâneo no verão.
As temperaturas podem variar no verão dos 24°C aos 38°C e as noite no concelho são frescas. No inverno, as temperaturas negativas são muita raras, mas podem ir até -4°, contudo, durante nos últimos anos (2005 e 2006) o concelho foi afectado por queda de neve. A freguesia da Lourinhã é conhecida pela sua pluviosidade e é frequentemente afectada por cheias no Outono.

 

Economia

Aguardentes da Lourinhã.
A economia da Lourinhã está principalmente dirigida na pesca, na agricultura, no comércio, na agropecuária, na construção civil, na silvicultura e na indústria. Cerca de 80 % do território do concelho da Lourinhã é usado para a prática da agricultura, sendo as batatas, a pêra Rocha, e vinhas que são a base da produção da Aguardente da Lourinhã, entre outros.
No ano de 1998 o Produto interno bruto per capita do concelho da Lourinhã estava a 739,8 €. Em 2003, estavam representadas 3111 empresas na Lourinhã (6 % do total das empresas no Oeste), a agricultura e pesca representava 16,5%; a construção 15,4% e o comércio por grosso e retalhos representava 30,4%.
O concelho da Lourinhã possui várias instalações comerciais, contando lojas e mercearias. Há vários novos supermercados como o Lidl, Intermarché, Agriloja, Pingo Doce, Minipreço, entre outros. Há ainda projectos para construir um Modelo e um Feira Nova.
Um Pingo Doce abriu na Lourinhã em Julho de 2008. Foram criados 80 empregos e 90% dos empregados são pessoas do concelho da Lourinhã.
O Mercado Municipal da Lourinhã está localizado no centro da vila, junto à câmara municipal e dos bombeiros voluntários. Neste mercado encontra-se todos os produtos, entre frutas, legumes, peixe, carne, vestidos e álcool. Encontram-se também três talhos, cafés e Churrasqueiras no rés-do-chão e um restaurante no primeiro andar.
A Lourinhã é um dos concelhos portugueses produtores de vinhos, está localizada numa região em que o mar e a vegetação das planícies se conjugam bem.
Nesta zona são produzidas aguardentes de qualidade reconhecida desde meados do século XX. Foi criada a Região Demarcada da Lourinhã para a defesa e uma obtenção de aguardentes velhas de boa e grande qualidade.
As casas dos Vinhos do Porto beneficiaram das Aguardentes da Lourinhã para produzir vinhos licoroso. Há cerca de 30 anos, foi testada para confirmar a sua superior qualidade, e foi directamente elevada ao nível europeu, juntamente com as aguardentes francesas das regiões do Cognac e do Armagnac
A vila da Lourinhã está cada vez com mais filiais bancárias, nas quais se incluem três caixas Crédito Agrícola (uma em Atalaia e duas em Lourinhã), uma Caixa Geral de Depósitos, dois Banco Santander Totta (Ribamar e Lourinhã), um Banco BPI, um Montepio Geral, um Banco Popular, um Banco Espírito Santo e ainda mais.

 

Turismo

Aguardentes da Lourinhã.
A economia da Lourinhã está principalmente dirigida na pesca, na agricultura, no comércio, na agropecuária, na construção civil, na silvicultura e na indústria. Cerca de 80 % do território do concelho da Lourinhã é usado para a prática da agricultura, sendo as batatas, a pêra Rocha, e vinhas que são a base da produção da Aguardente da Lourinhã, entre outros.
No ano de 1998 o Produto interno bruto per capita do concelho da Lourinhã estava a 739,8 €.[ Em 2003, estavam representadas 3111 empresas na Lourinhã (6 % do total das empresas no Oeste), a agricultura e pesca representava 16,5%; a construção 15,4% e o comércio por grosso e retalhos representava 30,4%.
O concelho da Lourinhã possui várias instalações comerciais, contando lojas e mercearias. Há vários novos supermercados como o Lidl, Intermarché, Agriloja, Pingo Doce, Minipreço, entre outros. Há ainda projectos para construir um Modelo e um Feira Nova.
Um Pingo Doce abriu na Lourinhã em Julho de 2008. Foram criados 80 empregos e 90% dos empregados são pessoas do concelho da Lourinhã.
O Mercado Municipal da Lourinhã está localizado no centro da vila, junto à câmara municipal e dos bombeiros voluntários. Neste mercado encontra-se todos os produtos, entre frutas, legumes, peixe, carne, vestidos e álcool. Encontram-se também três talhos, cafés e Churrasqueiras no rés-do-chão e um restaurante no primeiro andar.
A Lourinhã é um dos concelhos portugueses produtores de vinhos, está localizada numa região em que o mar e a vegetação das planícies se conjugam bem.
Nesta zona são produzidas aguardentes de qualidade reconhecida desde meados do século XX. Foi criada a Região Demarcada da Lourinhã para a defesa e uma obtenção de aguardentes velhas de boa e grande qualidade.
As casas dos Vinhos do Porto beneficiaram das Aguardentes da Lourinhã para produzir vinhos licoroso. Há cerca de 30 anos, foi testada para confirmar a sua superior qualidade, e foi directamente elevada ao nível europeu, juntamente com as aguardentes francesas das regiões do Cognac e do Armagnac
A vila da Lourinhã está cada vez com mais filiais bancárias, nas quais se incluem três caixas Crédito Agrícola (uma em Atalaia e duas em Lourinhã), uma Caixa Geral de Depósitos, dois Banco Santander Totta (Ribamar e Lourinhã), um Banco BPI, um Montepio Geral, um Banco Popular, um Banco Espírito Santo e ainda mais.

 

Prais do Concelho

Com seus 12 quilómetros de costa, o concelho da Lourinhã combinam-se com umas belas praias e tranquilas baías. São as freguesias da costa da Lourinhã que têm as praias, nomeadamente Ribamar, Atalaia e a Lourinhã.
São condições que convidam à pratica de diversos desportos náuticos como caça submarina, fotografia subaquática, surf, jet ski, e outros.

As praias do concelho da Lourinhã são, de Norte para Sul:
· Praia de Vale Pombas (Lourinhã)
· Praia de Paimogo (Lourinhã)
· Praia do Caniçal (Lourinhã)
· Praia de Vale Frades (Lourinhã)
· Praia da Malhada (Lourinhã)
· Praia da Areia Branca (Lourinhã)
· Praia de Areal (Lourinhã)
· Praia do Mexilhoal (Atalaia)
· Praia da Peralta (Atalaia)
· Praia de Porto das Barcas (Atalaia)
· Praia do Zimbral (Ribamar)
· Praia de Porto Dinheiro (Ribamar)
· Praia de Valmitão (Ribamar)

Património do Concelho

A Igreja de Santa Maria do Castelo, deve o seu nome ao antigo Castelo da Lourinhã, devido ao facto de ter sido edificada junto das suas muralhas. A igreja encontra-se no Miradouro do Castelo.
É de estilo gótico da segunda metade do século XIV, com duas fases de construção, sendo a primeira atribuída a D. Jordão, 1º donatário da Lourinhã, e a segunda a D. Lourenço Vicente, arcebispo de Braga (natural da Lourinhã).
Em 1374, no reinado de D. João I, esta igreja sofreu de grandes alterações, uma parte foi reedificada, ampliada e sagrada por D. Lourenço Vicente (14º Senhor da Lourinhã e Arcebispo de Braga).
É composta por três naves, estando a central separada das colaterais por quatro arcos laterais ogivais. Uma rosácea encima a porta principal.
No interior, existe uma pia baptismal, decorada com uma cruz latina, uma cruz pátea e um pentagrama, sinais evidentes de uma influência templária.
A igreja foi classificada como Monumento nacional no dia de 29 de Junho de 1922.


Igreja de São Sebastião
A Igreja de São Sebastião está localizada no centro vila da Lourinhã.
É um pequeno templo que foi construído da primeira metade do Século XVIII, possivelmente de 1730, data em que foi encontrada no interior da retábulo do altar-mor, durante as obras levadas a efeito em 2004.
Na parede da Epístola e junto ao altar, uma edícula forrada de azulejos de figura avulsa, de tipo invulgar e da época da construção da igreja.
Nas paredes e nas obras acima referidas, foram colocados lambris de azulejos, brancos e de figuras avulsas, réplicas dos do Século XVIII, que muito embelezaram o templo.


Capela de Nossa Senhora dos Anjos
A Capela de Nossa Senhora dos Anjos está situada no jardim de Nossa Senhora dos Anjos, quando a igreja foi erguida estava localizada na periferia da vila, na várzea do Grande
A capela foi construída no estilo renascentista, na segunda metade do Século XVI, de uma só nave e galilé sobre o coro alto, que abre para o exterior por dois arcos de cantaria, o do lado poente maior, sendo o lateral mais pequeno e só foi arrematado em 1956.
A fachada clássica, tem tímpano triangular e sobre o arco principal abre-se uma janelo emoldurado com cantarias trabalhadas do Século XVIII (obras de 1791) que abrangeram igualmente os emolduras das janelas laterais e das portas da nave de acesso à sacristia e à antiga sala das reuniões da confraria. Desta época é o retábulo do altar-mor, com colunas estriadas de azul e ouro.
Fronteiro à porta axial, que se abre na fachada do lado sul, encontra-se o púlpito, cuja base é um belo exemplar do século XVII, de laje quadrada, em mármore vermelho, emoldurado e com artísticos ornato.


Santa Casa da Misericórdia da Lourinhã
A Santa Casa da Misericórdia da Lourinhã foi constituída por alvará do rei Filipe I, datado de 23 de Julho de 1586.
No centro do edifício há uma igreja, com data de 1626, inscrita no tímpano. O retábulo do altar-mor é já do século XVIII, assim como a tribuna dos mensários e a Capela do Senhor dos Passos, em talha dourada barroca.
Do lado poente ergue-se o hospital, do século XVIII em cuja fachada se abre a porta principal encimada com o escudo de D. João V, em pedra calcária branca.
Neste edifício a uma colecção de pintura do Mestre da Lourinhã, as pinturas são o São João Baptista no Deserto, o São João em Patmos, e ainda mais.



Igreja do Convento Santo António
O Convento Santo António foi fundado em 1598 e antigamente pertencia à ordem franciscana. É classificado como monumento nacional pelo IGESPAR, desde 1910.
Possui um pequeno claustro, de dois pisos, com colunas que sustentam capitéis da ordem toscana. O claustro inferior possuía um lambril de azulejos dos primeiros anos do Século XVIII, representando meninos com cabazes de flores à cabeça, que ainda se podem admirar numa das paredes, estando nas restantes, réplicas mandadas fazer aquando do último restauro.
A igreja, de uma só nave, tem sofrido grandes restauros que a desfiguraram, especialmente na sua fachada. A capela-mor é separada do corpo da igreja, por um duplo arco sustentado por pilastra da ordem Toscana.
A nave, de abóbada de berço possui um largo silhar de azulejos, da segunda metade do Século XVIII, de albardara. As paredes da capela-mor são forradas com painéis de azulejos figurativos, azuis e brancos, do Século XVIII, época da construção do retábulo do altar-mor e dos altares laterais.
No lado do Evangelho, abre-se em arco renascentista o túmulo de D. Brás Henriques, mandado construir pela sua viúva, D. Brites Brandoa e sob risco do arquitecto régio Pedro Nunes Tinoco.
Ao fundo da nave, no lado da epístola, a pequena capela mandada erigir em 1714, conforme consta numa cartela, pelo Padre João Nunes Franco, Beneficiado da Matriz, para seu jazigo. O retábulo do altar e em mármore florentino e a revestir o altar e as paredes dois painéis de azulejos com cenas de milagres de Santo António, do ciclo dos mestres e atribuídos ao mestre que costumava deixar apenas as iniciais P.M.P.

Forte de Nossa Senhora dos Anjos de Paimogo
O Forte de Paimogo está localizado no concelho da Lourinhã, na freguesia do mesmo nome (Lourinhã), na praia de Paimogo. Foi erguido a partir de 1674, por D. Pedro II. O Forte de Nossa Senhora dos Anjos de Paimogo foi construído no tempo da guerra contra Espanha, após a proclamação da Independência de Portugal em 1640.
Por determinação de D. António Luís de Menezes, Marquês de Marialva e depois Conde de Cantanhede, herói da guerra da Restauração da independência, com a função de defesa daquele trecho do litoral, integrava a segunda linha de defesa da barra do rio Tejo, que se estendia da Praça-forte de Peniche até Cascais.
Ao término da Guerra Civil Portuguesa (1828-1834), e diante da evolução dos meios bélicos, perdeu a sua função defensiva.
Obteve a classificação de Imóvel de Interesse Público no dia 18 Julho 1957. mas no final do século XX o forte encontrava-se abandonado e em avançado estado de degradação. O forte está em obras de restauração desde 2006.

 

Transportes
A vila da Lourinhã tem um terminal rodoviário, que está localizado no centro da vila, perto do Estádio Municipal da Lourinhã. Os autocarros vão da Lourinhã até Lisboa, Torres Vedras, todas as freguesias do concelho, entre outros destinos.
O concelho tem um aeródromo, que está localizado na praia da Areia Branca.[41] A Lourinhã não tem linhas ferroviárias, mas encontra-se próxima da Linha do Oeste.[42]
A vila está também servida pela Auto estrada do Oeste. Há também uma ligação com o IP6 através da estrada nacional 247.


Protecção Civil e Saúde
O Concelho da Lourinhã está equipado de equipamentos civil e de protecção, a Lourinhã tem dois postos de GNR (Lourinhã e Moita dos Ferreiros), um posto de PSP, os Bombeiros Voluntários e um novo centro de saúde. O concelho da Lourinhã inaugurou, no dia 24 de Junho de 2005, o novo centro de saúde da vila.
A Lourinhã assistiu, no dia 28 de Dezembro de 2007, a uma manifestação; cerca de 500 pessoas protestaram contra o encerramento do Serviço de Atendimento Permanente.
·
Bombeiros Voluntários da Lourinhã
·
GNR, PSP e GOE da Lourinhã
·
Centro de Saúde do Concelho
Cultura

Centro Cultural Dr. Afonso Rodrigues Pereira.
A vila tem equipamentos desportivos, sociais, turísticos, culturais, educativos e outros. Em Abril 1991, um novo centro cultural abriu, o Centro Cultural Dr. Afonso Rodrigues Pereira, localizado numa das ruas mais comerciais da Lourinhã. O Centro Cultural Dr. Afonso Rodrigues Pereira é um espaço que é composto por uma sala de exposições (Polivalente), um auditório (Cinema) e no 1º andar podemos encontrar a Biblioteca
O Concelho da Lourinhã tem 17 escolas do 1º ciclo, 3 escolas básicas do 2º e 3º ciclos e estão repartidas por todas freguesias do concelho da Lourinhã. Há uma escola secundária e uma escola Agrícola (Casa Escola Agrícola Rio Grande).
Os equipamentos privados do concelho da Lourinhã têm uma importância junto da comunidade e das entidades que aí desenvolvem actividades.
Capital portuguesa dos dinossauros
O concelho da Lourinhã recebeu em 2004 o título de Capital dos Dinossauros portuguesa, graças à sua riqueza em vestígios jurássicos.
No ano de 1863, o primeiro dinossauro foi encontrado em Portugal e foi um dos primeiros da Europa.
Desde de 1863, centenas de vestígios foram descobertos, o Lourinhanosaurus e o Lourinhasaurus foram descobertos no concelho, ovos de dinossauro,
No lugar das arribas da Lourinhã foram descobertas mais de 25 pegadas de dinossauros, onze das quais foram recolhidas pelo Museu da Lourinhã. Estas eram pegadas de estegossauros, saurópodes e mais outros dinossauros. Foram as primeiras pegadas de dinossauros de tipo estegossauros e anquilossauros que se encontrado no território português estas pegadas destes animais são muitas raras ao nível mundial.
Museus


Museu da Lourinhã
O Museu da Lourinhã está situado no antigo edifício do tribunal da vila e está localizado no centro da vila.
Foi fundado em 1984 pelo Grupo de Etnologia e Arqueologia da Lourinhã, este Museu possui a maior colecção ibérica de fósseis de dinossauros do Jurássico Superior e uma das mais importantes a nível mundial. O museu é constituído de dois pisos, e são repartidos destes temas: a Arqueologia, a Arte Sacra, a Etnografia e a Paleontologia.
O Museu Rural do Reguengo Grande foi inaugurado em 1989. Este museu apresenta objectos do mundo agrícola e tem diversos artigos ligados à etnografia do concelho da Lourinhã.
Gastronomia

Bolos Areias Brancas
O Concelho da Lourinhã tem muitas variedade de bolos, sobremesas e vinhos.
Os Amendoados, são pequenos bolos secos, de massa friável e compacta, amarelos e dourados. Sobressai uma coroa apetitosa de pedaços de amêndoa, grosseiramente picados. As Areias Brancas, são de cor amarela e são polvilhados de açúcar. Estes bolos apudinados, são preparados a partir de gemas de ovos, de amêndoas e de açúcar. As Delícias do Convento são preparados com gemas de ovos, amêndoas, açúcar e um pouco de canela. Este bolo é proveniente da velha tradição conventual portuguesa, já que se baseia nos ingredientes habituais das doçarias religiosas: ovos, açúcar e as amêndoas.
O marisco é também uma especialidade da Lourinhã. Há mais de 50 anos que é pescado no antigo portos de Paimogo, do Porto das Barcas e do Porto Dinheiro.
A Aguardente da Lourinhã é uma grande especialidade do concelho. Há mais de 200 anos que esta aguardente é usada pelas grandes casas de Vinho do Porto. Há mais de 30 anos que foi elevado ao nível europeu das aguardentes francesas.
Desporto

Estádio Municipal da Lourinhã.
O concelho da Lourinhã tem por objectivos de proporcionar as práticas desportivas aos quadros competitivos formais e cativar novos praticantes. A angariação dos novos praticantes passa pela realização das actividades informais, como a Onda Desportiva e o Circuito Concelhio de Voleibol de Praia.
As actividades são principalmente : o atletismo (15º Troféu Municipal de Atletismo), o BTT (8º Troféu Municipal de BTT) e o futebol (13º Torneio Municipal de Futebol de 5). O futebol de Praia é muito praticado também no concelho.
As instalações da municipalidade são o Estádio Municipal da Lourinhã (local do SCL), o Pavilhão Gimnodesportivo e o Campo de Jogos da Praia da Areia Branca.[53] O concelho da Lourinhã tem várias instalações desportivas, a por exemplo : o Mini-golfe, os campos de bola, um Estádio Municipal, 4 campos de ténis, duas piscinas, um parque de Skate parque e dois Pavilhões Polidesportivos.
A vila tem um clube de futebol, o Sporting Clube Lourinhanense que tem lugar no Estádio Municipal da Lourinhã e um clube de Hóquei, o Hóquei Clube da Lourinhã que tem lugar no Pavilhão José António dos Santos.
Feiras e Festas

Banda da Associação Musical e Artística Lourinhanense na Festa em Honra de Nossa Senhora dos Anjos em 2008.
Feira da Batata
Todos os meses a Associação dos Agricultores do Oeste e o Município da Lourinhã, fazem uma exposição de produtos tradicionais (batatas, frutas, hortícolas, vinho, doçaria, mel, Pão do Lavrador, carnes fumadas, queijos, produtos biológicos, artesanato e artes decorativas rurais) junto à Praça José Máximo da Costa. Esta feira iniciou-se em Setembro de 2005, e realiza-se no último Sábado de cada mês.
A par destes produtos está a aguardente da região demarcada da Lourinhã, com a venda de uva, as tartes de Pêra Rocha, Maçã Reineta, cenoura, laranja, limão, compotas de pêssego, Pêra Rocha, ginjas, entre outros.
Há também vários produtos decorativos, telas, quadros com dinossauros (Lourinhanosaurus, Lourinhasaurus, etc.), loiça decorativa com património do concelho, entre outros.
Feira de São Bartolomeu dos Galegos
A freguesia de São Bartolomeu dos Galegos organiza todos os anos a feria anual no dia de 24 de Agosto, é o dia daquele o Santo durava antigamente dois o três dias e era cativa. A feira já existia no século XVIII. À noite, há animação musical e baile.
Festival de Marisco da Lourinhã
Em 2008 foi 6ª edição do Festival de Marisco, do dia de 7 ao 10 de Agosto o concelho da Lourinhã organizem este festival no Pavilhão Multiusos da Atalaia.
Com o apoio da Municipalidade da Lourinhã, o certame pretende continuar a fidelizar um maior de visitantes, mantendo uma tradição de qualidade na arte de confeccionar os mariscos.
À variedade dos crustáceos e dos moluscos são proporcionados pelo pratos que dá o nome de Festival de Marisco, juntam-se à ementa outras iguarias da região é a tradicional Aguardente da Lourinhã.
Festival do RockOeste
O Festival do RockOeste é um festival que foi criado em 2000 pela câmara municipal da Lourinhã. Este evento tem lugar na Praia da Areia Branca e é nos dias de 23 e 24 Julho.
O festival esta junto à praia, em 2004 em 1ero lugar forem os The Nutty Pea de Lisboa, em 2ndo lugar forem os Rope de Matosinhos e em 3ro lugar os Zieben da cidade de Sintra.

Algumas festas da Lourinhã

6 de Janeiro Festa dos Reis Todo o Concelho
20 de Janeiro Festa de São Sebastião Lourinhã
2 de Fevereiro Festa em Honra de Santa Maria São Bartolomeu dos Galegos
1ª semana de Maio Feira do Livro da Lourinhã Lourinhã
Junho Festa do Corpo de Deus Marteleira (dia 15) ; São Bartolomeu dos Galegos (dia 22)
13 de Junho Marchas Populares Lourinhã
24 de Junho, Dia de S. João Feriado Municipal Lourinhã
20 de Julho Festa do Aniversário do C.S.C. de Ribamar Ribamar
24 de Agosto Feira Anual de São Bartolomeu dos Galegos São Bartolomeu dos Galegos
26 de Agosto Feira Anual de São Lourenço Marteleira
1º Domingo de Setembro Festa Nossa Senhora da Guia Atalaia
14, 15, 16 e 17 de Agosto Festa em Honra de Nossa Senhora dos Anjos Lourinhã
8 de Dezembro Festa de Nossa Senhora da Conceição Moita dos Ferreiros

 

 Copyright © 2012 • Direitos Reservados • Desenvolvido por: Lisboanet.com